Categorias



Nome:
Email:
Sugestão:
Publicado:
Memória Flash de plástico é totalmente flexível

Memória Flash orgânica Um grupo internacional de cientistas conseguiu fabricar a primeira memória Flash flexível, a partir da chamada eletrônica orgânica, que utiliza compostos à base de carbono e técnicas de fabricação semelhantes à impressão jato de tinta. Nos últimos anos, a fabricação de componentes eletrônicos - de células solares e LEDs até circuitos eletrônicos completos - tem sido facilitada pela utilização de semicondutores orgânicos. Ao contrário do silício, esses semicondutores podem ser processados a baixas temperaturas. Vantagens da eletrônica orgânica Uma das principais vantagens da eletrônica orgânica é a possibilidade de fabricação de componentes e circuitos em grandes áreas, enquanto os chips de silício são restritos à área de pastilhas circulares de tamanhos limitados. A maior dessas vantagens, contudo, certamente é o fato de que os circuitos eletrônicos orgânicos podem ser fabricados sobre substratos plásticos, finos e flexíveis. Apenas o transístor de memória Flash, o componente de silício encontrado nos pen-drives, nas câmeras digitais e nos tocadores de MP3, continuava resistindo aos benefícios do plástico. Agora, Tsuyoshi Sekitani e seus colegas alemães e austríacos construíram os primeiros transistores orgânicos de memória Flash em plástico. Pulseiras tocadoras de MP3 Para demonstrar o funcionamento do novo componente, os pesquisadores criaram um protótipo de memória Flash fino e flexível e o utilizaram para armazenar arquivos digitais de fotos comuns. A memória Flash orgânica demonstrou ser capaz de, a exemplo de sua antecessora de silício, manter os dados mesmo na ausência de energia. As memórias Flash tiveram grande aceitação no mercado justamente porque elas não precisam de energia para manter o conteúdo da memória, ao contrário da memória de acesso aleatório (RAM), que "esquece" tudo quando a energia é desligada. Mas os dispositivos portáteis exigem memórias mais robustas. E, quanto mais finas e mais leves, melhor, o que torna as memórias Flash orgânicas muito promissoras - agora já dá para pensar em pulseiras MP3, por exemplo, assim como qualquer outro dispositivo eletrônico portátil.
Ler Mais
Publicado:
Quase 60% dos internautas brasileiros acessam sites de compras

Os sites de comércio eletrônico tiveram, no mês passado, volume recorde de visitantes na internet brasileira. É o que informa nesta quinta-feira relatório do Ibope/NetRatings.De acordo com o levantamento, 12,2 milhões de brasileiros acessaram sites deste gênero, num crescimento de 2,5% em relação ao mês anterior. É a primeira vez, desde setembro de 2000 –quando o Ibope iniciou suas medições na internet do país–, que a categoria de e-commerce ultrapassa a barreira dos 12 milhões de visitantes únicos residenciais. O setor alcança assim 57% do total dos internautas residenciais ativos (aqueles que acessam a rede ao menos uma vez por mês, de casa). A marca é fruto das compras de fim de ano, de acordo com o Ibope. O volume de aquisições feitas pela internet no Natal do ano passado cresceu 56% em relação a 2006, conforme informou a empresa de Correios em dezembro. Internauta “.br” O número de internautas residenciais ativos em dezembro de 2007 se manteve em 21,4 milhões. Trata-se de 48,4% a mais do que em dezembro de 2006 e 0,7% a menos que no mês de novembro. O Brasil tem 39 milhões de pessoas que acessam a internet de qualquer ambiente (residência, trabalho, escola, LAN houses, bibliotecas etc), número relativo ao terceiro trimestre de 2007. Também trimestral, o total de pessoas com acesso residencial à internet (mas que não necessariamente usufruem do meio) em dezembro de 2007 continuou em 32,1 milhões de indivíduos.
Ler Mais
Publicado:
Notebooks terão autonomia de um dia

Pesquisadores da Universidade de Stanford fizeram uma descoberta que pode significar a chegada de baterias para laptops com autonomia superior a um dia. Basicamente eles colocaram nanofios de silicone para dar às baterias de íons de lítio (usadas em laptops, mp3 players, câmeras de vídeo e celulares) 10 vezes mais energia por carga. Teoricamente, uma bateria de 4 horas de autonomia poderá ser usada sem recarga por 40 horas. O professor assistente Yi Cui, líder da pesquisa, declarou que a nova tecnologia não pode ser encarada apenas como uma evolução das baterias tradicionais. “É um desenvolvimento revolucionário”, afirmou o professor. Simplificando a explicação química de Cui, as baterias atuais usam grafite para fechar o circuito elétrico, mas isso diminui a quantidade de lítio que pode ser usada, o que acaba diminuindo a autonomia das baterias (o lítio é o responsável pelo armazenamento da energia elétrica). Já o silicone tem a maior capacidade teórica de carga elétrica, o que o torna ideal para uso com o lítio. O problema é o que silicone se expande durante a carga e se encolhe durante o uso, e acaba sendo destruído pelo processo. Por 30 anos, pesquisadores tentaram driblar este ciclo para viabilizar as baterias de lítio e silicone. Cui e seus colegas conseguiram criar nano tubos de silicone que se expandem durante a carga, mas não são destruídos pelo ‘efeito sanfona.’
Ler Mais
Publicado:
Senha gráfica é milhares de vezes mais segura

A disseminação de dispositivos portáteis, como os iPhones, Blackberries e Smartphones, está colocando um novo desafio para os sistemas de segurança. Para tirar todo o proveito de seus aparelhos, seus donos querem utilizá-los em todo lugar, na rua, no metrô, na sala de espera do médico ou mesmo na sala do cafezinho da empresa. O problema é que esses ambientes estão sempre repletos de pessoas. E, entre elas, há sempre a possibilidade de existir algum bisbilhoteiro querendo descobrir sua senha. Senha gráfica Agora, pesquisadores da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, criaram um novo sistema de segurança que promete resolver esse problema. Ao invés de usar letras e números para as senhas, o novo programa utiliza desenhos. Os testes mostram que a senha gráfica é milhares de vezes mais segura do que as senhas tradicionais, além de serem mais fáceis de serem lembradas. "Muitas pessoas acham difícil lembrar as senhas, por isso escolhem palavras que são fáceis de se lembrar, ficando mais suscetíveis à ação dos hackers," diz o cientista da computação, Jeff Yan, que coordenou o trabalho. Desenhe sua senha O novo sistema de segurança, batizado de Desenhe um Segredo, permite que o usuário desenhe sua senha na forma de uma imagem, criada à mão livre sobre um fundo reticulado. O programa armazena o desenho na forma de uma seqüência ordenada de células, cada célula correspondendo a um quadrado do reticulado. Além da imagem propriamente dita, o programa guarda também quantas vezes a caneta é levantada. Imagem de background Os pesquisadores descobriram que a colocação de uma imagem de background por trás do quadriculado não apenas facilita a lembrança da senha, mas também faz com que os usuários desenhem senhas menos previsíveis, maiores e mais complexas - logo, muito mais seguras. Por exemplo, se a pessoa escolhe a imagem de uma flor para background e desenha como senha uma borboleta sobre a flor, o que ele deverá se lembrar é onde começa e onde termina o desenho, que deverá estar contido na mesma porção do quadriculado - afinal, é virtualmente impossível fazer dois desenhos à mão livre exatamente iguais.
Ler Mais
Publicado:
Programa gratuito quebra censura da Internet

Vários países impõem restrições ao uso da Internet, censurando sites considerados perigosos para a manutenção dos regimes ditatoriais. Ron Deibert, da Universidade de Toronto, no Canadá, faz o contrário: ele cria programas que permite que os cidadãos desses países burlem essa censura. Navegando por sites bloqueados Deibert criou um programa, chamado Psiphon, que permite que os usuários da Internet que estejam sob censura naveguem livremente pelos sites bloqueados. O Psiphon é um software livre, podendo ser baixado sem custos (veja links abaixo, no quadro Links desta notícia). "Nós queremos criar um programa de segurança fácil de usar que permita que os usuários acessem informações atualmente bloqueadas por seus governos - para garantir que os indivíduos possam exercitar seus direitos humanos básicos," diz ele. Censura na Internet Na primeira versão, os usuários precisavam enviar um endereço IP único para seus amigos ou familiares que morem em um dos 40 países ao redor do mundo onde a Internet é censurada. Eles então podiam se conectar a esse servidor e usá-lo para acessar os sites bloqueados. A nova versão, que acaba de ser lançada, é mais simples, tendo se transformado em um serviço livre e aberto a qualquer pessoa ao redor do mundo que não tenha um contato confiável em um país sem censura.
Ler Mais
HOME    ::    NOTICIAS    ::    SOLUÇÔES    ::    SUPORTE    ::    AUTENTICAÇÂO    ::    DOWNLOADS    ::    AJUDA

Y4Solution © 2007-2014. Todos Direitos Reservados